sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Define o momento!



" Mais uma vez na frente do espelho, olhei para minha imagem e comecei a rir. Meu cabelo era uma dessas criações estranhas, incríveis, surpreendentes, de parar o tráfego - um pouco parecido com as listras das zebras, com as orelhas do tatu ou os pés azul-elétrico do mergulhão - que o universo cria sem nenhum motivo especial a não ser demonstrar sua imaginação ilimitada. Compreendi que jamais tivera a oportunidade de apreciar o cabelo em sua verdadeira natureza. Descobrir que ele, na verdade, tinha uma natureza própria. Lembrei-me dos anos que passei agüentando cabeleireiros - desde o tempo de minha mãe - que faziam trabalho missionário nos meus cabelos. Eles dominavam, suprimiam, controlavam. Agora, mais ou menos livre, ele ficava todo espetado para todos os lados. Eu telefonava para todos meus amigos no país para relatar as travessuras do meu cabelo. Ele jamais pensava em ficar deitado. Deitar de costas, na posição missionária, não o interessava. Ele cresceu. Ficar curto, cortado quase até a raiz, outra "solução" missionária, também não o interessava. Ele procurava espaços cada vez maiores, mais luz, mais dele mesmo. Ele adorava ser lavado; mas isso era tudo.Finalmente descobri exatamente o que o cabelo queria: queria crescer, ser ele mesmo, atrair poeira, se esse era seu destino, mas queria ser deixado em paz por todos, incluindo eu mesma, os que não o amavam como ele era. O que acham que aconteceu? (Além disso, agora eu podia, como um bônus adicional, compreender Bob Marley como o místico que suas músicas diziam que era). O teto no alto do meu cérebro abriu-se; mais uma vez minha mente (e meu espírito) podia sair de dentro de mim. Eu não estaria mais presa à imobilidade inquieta, eu continuaria a crescer. A planta estava acima do solo." 

domingo, 4 de dezembro de 2011

que dó, que dó!

Algumas coisas doem tanto, tanto, mas tanto que não há explicação! É pior do que dores fisiológicas, são sensações terríveis.
Eu fico perdida, as soluções são surreais, abstratas!
E não é justo...parece até irônico ver quem você gosta sumindo das suas mãos por um motivo que não é do relacionamento, é extrínseco.
Está doendo muito, e pode doer mais...e eu posso não suportar!

Engolindo os conselhos! VALE A PENA LER...



"Não confie na frase de sua avó, de sua mãe, de sua irmã de que um dia encontrará um homem que você merece.

Não existe justiça no amor.

O amor não é censo, não é matemática, não é senso de medida, não é socialismo.

É o mais completo desequilíbrio. Ama-se logo quem a gente odiava, quem a gente provocava, quem a gente debochava. Exatamente o nosso avesso, o nosso contrário, a nossa negação.

O amor não é democrático, não é optar e gostar, não é promoção, não é prêmio de bom comportamento.

O melhor para você é o pior. Aquele que você escolhe infelizmente não tem química, não dura nem uma hora. O pior para você é o melhor. Aquele de quem você procura distância é que se aproxima e não larga sua boca.

Amor é engolir de volta os conselhos dados às amigas.

É viver em crise: ou por não merecer a companhia ou por não se merecer.

Amor é ironia. Largará tudo — profissão, cidade, família — e não será suficiente. Aceitará tudo — filhos problemáticos, horários quebrados, ex histérica — e não será suficiente.

Não se apaixonará pela pessoa ideal, mas por aquela que não conseguirá se separar. A convivência é apenas o fracasso da despedida. O beijo é apenas a incompetência do aceno.

Amar talvez seja surdez, um dos dois não foi embora, só isso; ele não ouviu o fora e ficou parado, besta, ouvindo seus olhos.

Amor é contravenção. Buscará um terrorista somente para você. Pedirá exclusividade, vida secreta, pacto de sangue, esconderijo no quarto. Apagará o mundo dele, terá inveja de suas velhas amizades, de suas novas amizades, cerceará o sujeito com perguntas, ameaçará o sujeito com gentilezas, reclamará por mais espaço quando ele já loteou o invisível.

Ninguém que ama percebe que exige demais; afirmará que ainda é pouco, afirmará que a cobrança é necessária. Deseja-se desculpa a qualquer momento, perdão a qualquer ruído.

Amar não tem igualdade, é populismo, é assistencialismo, é querer ser beneficiado acima de todos, é ser corrompido pela predileção, corroído pelo favoritismo. É não fazer outra coisa senão esperar algum mimo, algum abraço, algum sentido.

Amor não tem saída: reclama-se da rotina ou quando ele está diferente. É censura (Por que você falou aquilo?), é ditadura (Você não devia ter feito aquilo!). É discutir a noite inteira para corrigir uma palavra áspera, discutir metade da manhã até estacionar o silêncio.

Amor é uma injustiça, minha filha. Uma monstruosidade.

Você mentirá várias vezes que nunca amará de novo e sempre amará, absolutamente porque não tem nenhum controle sobre o amor."

Fabrício Carpinejar

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

DEZEMBRO,eu quero a paz de estar em par com com Deus!


Quem tem Deus como império, no mundo não 


está sozinho...Ouvindo sininhos.


Magamalabares, 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA!


Negro é alma, espírito. 
Negro é intrínseco,origem, descendência.
Negro é religião, crença, força.
Negro é dança, tranças. 
Negro não é cor.
DEFINITIVAMENTE, REPETIDAMENTE 
NEGRO NÃO É COR.
Cor é objeto, extrínseco, roupa, situações.
Cor é inorgânico
Mecânico, abiótico.
Negro pode ser pele, tem química, tem sabor
Tem melanina, faz graça, excita a praça.
Negro é irreversível, irresistível.
Negro deve ser irredutível, são os filhos do açoite
NEGRO É RESISTÊNCIA, MALEMOLÊNCIA E ETERNIDADE.


Castro Alves já dizia:
"Presa nos elos de uma só cadeia,
A multidão faminta cambaleia,
E chora e dança ali!
Um de raiva delira, outro enlouquece,
Outro, que martírios embrutece, 
Cantando, geme e ri!"  


Eu canto Caetano: EU SOU NEGUINHA!

sábado, 5 de novembro de 2011

que saudade que eu estava de ler essas coisas, Lindooo!





"O Amor Bate na Aorta

Cantiga do amor sem eira nem beira,
vira o mundo de cabeça para baixo,
suspende a saia das mulheres,
tira os óculos dos homens,
o amor, seja como for,
é o amor.
Meu bem, não chores,
Hoje tem filme de Carlito!
O amor bate na porta
O amor bate na aorta,
fui abrir e me constipei.
Cardíaco e melancólico,
o amor ronca na horta
entre pés de laranjeira
entre uvas meio verdes
e desejos já maduros.
Entre uvas meio verdes,
meu amor, não te atormentes.
Certos ácidos adoçam
a boca murcha dos velhos
e quando os dentes não mordem
e quando os braços não prendem
o amor faz uma cócega
o amor desenha uma curva
propõe uma geometria.
Amor é bicho instruído.
Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem,
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.
Daqui estou vendo o amor
irritado, desapontado,
mas também vejo outras coisas:
vejo corpos, vejo almas
vejo beijos que se beijam
ouço mãos que se conversam
e que viajam sem mapa.
Vejo muitas outras coisas
que não ouso compreender..."


(Carlos Drummond de Andrade)

Ressuscitei...vim dizer que estou bem!






Depois de muito cansaço, depois de muito doer, depois de muita neblina, depois de muita busca, sobretudo, a gente descobre, contente que nem criança diante de novidade, onde o amor estava o tempo todo. Onde estava a chave. Onde estava o alimento. Começamos a dedicar carinho e delicadeza a nós mesmos, aqueles que pensávamos que podiam vir somente dos outros.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

*19 de setembro / + 20 de dezembro


É triste, dói e lhe impede de prosseguir a fala, dá um nó na garganta e as lágrimas ameaçam do olho cair. E a cada mês, as memórias não se apagam ficam mais nítidas e saudosas! SAUDADE, um sentimento de perda. Por vezes despercebi e o psicológico trapaceou, imaginei que iria chegar na casa da minha avó e ela estaria na mesa, na cadeira da cabeceira próximo a porta, tomando café na xícara preta, comendo bolo na caçarola ou banana cozida, cabelos brancos bem cortados, curto, camisola costurada por ela outrora e vestido florido. Decepção, constrangimento e choro é ver que 'naquela mesa tá faltando ela e a saudade dela tá doendo em mim'. HOJE minha bisavó faria aniversário, comemoraria mais um ano de vida, infelizmente amanhã fazem 9 meses que ela faleceu. Ela foi tranquila, seu rebanho está pronto mas morremos de saudades cada vez que nos reunimos em família e sentimos a falta da essência maior, era incrível como ela reunia as particularidades de cada um em si, a bondade de minha avó, a responsabilidade de minha tia Lucia, a aspereza e seriedade de tia Fal, a simplicidade de meu pai. FELIZ ANIVERSÁRIO bisa, chorei...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Fascinante!


Eu não sei ser, por inteiro, certa, lúcida. Tenho que vazar ideias loucas, expressar coisas insanas, gritar (dentro de mim) vontades profanas! Quem se diz muito perfeito, não é de carne e osso. O estado carne e osso nos impõe o pecado e a insanidade.RÁ! E as mulheres, então, que sempre ouço um ditado popular que diz: 'A mulher fez o diabo carregar água no cesto.' risos. Eu não sei andar na linha, não posso correr o risco de ser atropelada pelo trem. Lastimo pelos que morrem sem ter vivido e perdem o tempo em estado vegetativo com medo de morrer. Escolho o risco infimo de morrer de amor. Deve ser melhor, já diziam os poetas.

as DR's da vida!



"Todas as relações do mundo possuem sua prateleira de cristais. Há sempre um suspense, uma delicadeza ao transitar pela fragilidade do outro. Melhor não falar muito alto, é mais prudente ir devagar e com cuidado. Para não estragar, pra não quebrar, pra durar por muitos séculos."

quinta-feira, 25 de agosto de 2011


“Com pequenos beijinhos e mordiscadas virando e desvirando seu corpo, virando e revirando seus olhos, convenço que os maiores amores se acertam nos erros, quando a loucura e a entrega vencem a resistência e o medo de alguma forma. Começo num beijo no canto da boca, aqueles que cabe a você decidir se acaba, ou prossegue.”
Gabito Nunes

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Gosto da hora que faz a tal das sete horas da manha. Seis acho muito cedo, oito falta misterio. Num sei...7 é hora certa pra pensar em casar. 

segunda-feira, 15 de agosto de 2011



Em vez de sofrer pelas modificações que ainda não consigo, eu me sinto grata pelas mudanças que já realizei. E relaxo...
 ASSIM SEJA!




 
 

sábado, 6 de agosto de 2011



Não é por frieza, mas eu prefiro a morte rápida do que o doloroso padecer sobre o leito. Deus, eu sei que tu sabes o que fazes. Mas a todo momento, estes dias, eu agradeço o descanso de passarinho da minha bisavó. Estes patriarcas da família, já cumpriram sua labuta, construíram uma família sobre a rocha. Mesmo falecida, minha bisavó ainda nos traz recordações de bons ensinamentos, dizeres, sabedoria de velho. Geração tão linda, de gente do bem, mas a semente  fica e a família está ai para isso, para propaga-la. Nesse momento só é preciso a união da família, a esperança nas vontades divinas e o abraço e apoio dos amigos. Pois o que fica, são as risadas no dia de domingo, recordando velhos momentos e a certeza de ter aproveitado os momentos de vida da pessoa querida.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

sem querer, querendo!


"Acabou a puberdade
E com ela a necessidade

De pedir as chaves emprestadas
De deixar as portas trancadas
Eu já nem me lembro bem
Da primeira vez que eu dei
Eu já nem me lembro bem"

sábado, 30 de julho de 2011


"É tanta alegria, coração tão quentinho que, esqueci de todas as minhas precisanças. Não quero mais nada. Vou viver de Amor."


quinta-feira, 28 de julho de 2011

é que tem uma coisa doendo tanto, as vezes falta esperança, as vezes falta dinheiro, as vezes falta FÉ...é ai que se encontra o vazio de tudo, a angustia que dá, o ódio! Ah DEUS, onde encontro o meu-eu-divino, onde vivo de paz e de ti sem pensar nas profanidades do mundo?
Qual vai ser o rumo agora?

sábado, 23 de julho de 2011

BOM DIA!

"Sejamos incontroláveis então...e que a gente não desista porque ninguém acredita."









quinta-feira, 21 de julho de 2011

Eu e DEUS!





"— Eu não sabia, Senhor, que o mundo era tão vasto e doloroso. 
E que desejando a vastidão do mundo meu coração conheceria também a vastidão da dor. Por que, Senhor Meu, permitiste que eu tentasse fugir da minha pequenez? 
Por que me deste todos esses sonhos, muito maiores do que eu?"

Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 14 de julho de 2011




"Sou tipo um adolescente de quase trinta. Me mandam crescer, mas nenhum exemplo adulto até hoje me convenceu."

sexta-feira, 8 de julho de 2011


"Se você soubesse como gosto de suas cheganças,
você chegaria correndo todo dia."







terça-feira, 5 de julho de 2011


Não precisa alterar o tom da voz, muito menos entonar discussão... verdades quando ditas de maneira clara e calma dói!

quinta-feira, 30 de junho de 2011

NÃO MEXA!





"Falam de tudo. Da moral, do comportamento, dos sentimentos, das reações, dos medos, das imperfeições, dos erros, das criancices, ranzinzisses, chatices, mesmices, grandezas, feitos, espantos. Sobretudo falam do comportamento e falam porque supõem saber. Mas não sabem, porque jamais foram capazes de sentir como o outro sente. Se sentissem não falariam.
como disse a Bruh do blog :http://esteeholadobe.blogspot.com/  : Se soubessem, se sentissem, não falariam. Aqui, do lado de dentro, mando eu... eu que sei... eu e Deus.

Trecho de 'Sua mãe', crônica de Gabito Nunes, superverdades!



Não fica bem falar sobre sentimentos com sua mãe, a não ser que ela seja a Oprah, nem sobre sexo, a não ser que se chame Sue Johansson. Ou então ela deixa automaticamente de ser sua mãe, passa a figurar na sua lista de, sei lá, amigos bizarros. Ok, ok, digamos que você seja um daqueles mimados a compartilhar suas peripécias com seus pais. Me ensina, como rola isso? Posso imaginar algumas linhas eventuais de pensamento, sendo você menino ou menina, todas não exatamente confortáveis, espontâneas e livre de análises edipianas
Porque sua preocupação é fundamentada na vontade de todo pai de ver seus filhos casados e amados à altura, como eles acham que merecemos, mesmo a gente sabendo que não é bem assim. O cordão umbilical realmente se rompe quando mães e filhos escutam "Love Hurts" com ouvidos diferentes..

quarta-feira, 29 de junho de 2011

MEU, MEU , MEU!

Amor que não se pede!


Amor que eu nunca vi igual

Que eu nunca mais verei
Amor que não se pede
Amor que não se mede
Que não se repete
Amor que não se pede
Amor que não se mede
Que não se repete
...
Cê vai chegar em casa
Eu quero abrir a porta
Aonde você mora?



P.S.: o meu ruivo, ruivão!

domingo, 26 de junho de 2011

recordações do terceirão, aula de literatura!



"Quem não tem namorado 

Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namoro de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, de saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia.


Paquera, gabiru, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas, namorado, mesmo, é muito difícil. Namorado não precisa ser o mais bonito, mas aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda, decidida ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição. Quem não tem namorado, não é que não tem um amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem pretendentes, dois paqueras, um envolvimento e dois amantes, mesmo assim pode não ter um namorado.
Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas, medo do pai, sanduíche de padaria ou drible no trabalho. Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar sorvete ou lagartixa é quem ama sem alegria. Não tem namorado quem faz pacto de amor apenas com a infelicidade.Namorar é fazer pactos com a felicidade ainda que rápida, escondida, fugida ou impossível de durar.

Não tem namorado quem não sabe o valor de mãos dadas: de carinho escondido na hora em que passa o filme: de flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada; de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo alado, tapete mágico ou foguete interplanetário.

Não tem namorado quem não gosta de dormir agarrado, fazer cesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor, nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele, abobalhados de alegria pela lucidez do amor. Não tem namorado quem não redescobre a criança própria e a do amado e sai com ela para parques, fliperamas, beira d'agua, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos e musical da Metro.

Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não chateia com o fato de o seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia de sol em plena praia cheia de rivais. Não tem namorado quem ama sem se dedicar; quem namora sem brincar; quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado quem confunde solidão com ficar sozinho e em paz. Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo, e quem tem medo de ser afetivo. Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando duzentos quilos de grilos e de medo, ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras, e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada, e coração estouvado, saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo da janela.

Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uam névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteira: Se você não tem namorado é porque ainda não enlouqueceu aquele pouquinho necessário a fazer a vida parar e de repente parecer que faz sentido. Enlou-cresça."

(Artur da Távola, em: Amor a sim mesmo)

quarta-feira, 22 de junho de 2011



Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco!!

Luis Gonzaga, é São João, clima bom!

terça-feira, 14 de junho de 2011


O despertador tocou, para avisar que era hora de acordar, tocava Is this love, velho Bob. Acordar do sonho, mas os olhos abriram, vi as mãos que me apanhavam sem deixar nada desprotegido, o quarto diferente. Diferenciar a realidade do sonho aconteceu no momento que o despertador tocou. Mas a realidade era tão linda quanto o sonho. A conversa matinal coube todos-os-assuntos. Era algo inédito, lindo, cheio de brilhinhos e fadinhas em volta. Ele escolheu a trilha sonora, tocava Jau Peri. Incenso de rosas vermelhas, velas acesas para Santo Antonio no quintal. Bailamos, em meio ao suco de laranja. Pratos lavados, café na mesa. Bom dia Santo Antonio, santo casamenteiro.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Recomeçar!


Foi no meio da noite que ele pegou minhas mãos unidas as dele e fez sinal de prece com elas, e pedia para Deus  nos dar sabedoria para enfrentar as adversidades que irão surgir, para abençoar o nosso relacionamento, e encarecidamente dizia: 'dai-nos paz, amor' e eu completei: 'confiança'. Eu não sei como,onde, eu só sei que foi assim. E que senti mesmo, eu sentia a plena felicidade.

domingo, 12 de junho de 2011


MAIS-UMA-VEZ! É isso que eu fico repetindo pra mim!!
Eu preciso de Deus, amigas, não posso ficar sozinha, nem chorar mais...e agradecer! Como eu estou grande viu?! Adulta, eu simplesmente reconheci impossibilidades e disse para mim que eu estou bem, e estou! E sei que vai passar, é que lembranças são inevitáveis, planos desfeitos, mala pronta para partir! Eu vou com a certeza de que felicidade são momentos, foram únicos, foram meus...vivi! Viverei outros, com características discrepantes... O final não é feliz, e cada ínfimo ensinamento ficou anotado na minha caixinha de aprendizagem! E quer saber, eu sinto que em silêncio meu coração se prepara para arar a terra, adubar e fazer brotar uma roseira nova. Sem roseiras, eu não vou me permitir a felicidade, sofrer é inevitável e irrelevante, eu quero viver com todas as implicações que isso pode causar!

quarta-feira, 8 de junho de 2011


"O menino me ensina
como um velho sábio
o quanto sou menina."

p.s.: eu fico indignada por que não acho fotos de pretinhos!


....sairíamos pra jantar em dia de chuva e chegaríamos encharcados, nos beijaríamos no meio de alguma frase, você pegaria no sono com a mão no meu cabelo e eu, escutando sua respiração. Eu riria sem motivo e você perguntaria porque, eu não responderia, saberíamos.

segunda-feira, 6 de junho de 2011




Quero você aqui, no meio das minhas coisas, meus livros, discos, filmes, minhas ideias, manias, suspiros, recortes. Respirando o mesmo ar e todas coisas que alimentam àquela nossa, tua, minha inesgotável saudade. Entra, não pergunte se pode ficar. Vem e fica. Vai e volta.  

sexta-feira, 3 de junho de 2011


Pois fatalmente terminaremos sós
Mas você: a quem pertence?
Você pertence à você

SONHO


É que eu quero marcar no meu corpo algo que me faça sentir bem só em olhar, o lugar ainda oscila, mas a imagem é algo assim que traga paz, pode ter cores para trazer alegria. Mas tem que tatuar de maneira leve, para não tatuar com o sentido literal de ser uma obrigação que você carrega e não sai nunca mais de você!
Eu ando doida, alucinada para concretizar esse sonho, mas a espera me faz refletir algumas concepções sobre a polêmica: CARÁTERxTATUAGEM. E tudo tem seu tempo mesmo...
Eu sou encantada pelo charme de ter um tatuagem, não pelos outros , mas por mim. Eu pareço uma criança fazendo bico, batendo os pés, ah como eu quero uma tatuagem...Estou no ápice do meu modernismo, cheia de revoluções, fico com esse achismo de que mereço uma por tal maturidade.

Ontem! (quesejasempre)



"O sabor está nas passagens. O definitivo é cansativo demais. (...) Tudo que não muda nos condena, nos condiciona. O bom da vida é saber que passa. Um fim de tarde com toda a sua beleza não cabe no tempo. E por isso ele se vai. (...) A beleza está nos intervalos, nos espaços de luz em que a sombra já se mostra."



P.S.: eu faço essa cara dessa menina! Igualzinhaa!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

É noite de São João, de São Pedro e Santo Antonio!

O mês de junho, o frio e o forró! Acordei com essa hoje:

Seja bem vindo SÃO JOÃO!!

Loucura é não amar!



"O choro a acorda. Ela te olha. Olha o quarto. E de novo ela te olha. Acaricia a tua mão. Ela pergunta: Você chora por quê? Você diz que cabe a ela dizer por que você chora, que ela é que deveria saber.
Ela responde baixinho, com doçura: Porque você não ama. Você responde que é isso.
Ela pede a você que lhe diga claramente. Você lhe diz: Eu não amo.
Ela diz: Nunca?
Você diz: Nunca.
Ela diz: O desejo de estar prestes a matar um amante, de guardá-lo para si, só para si, de arrebatá-lo, de roubá-lo a contrapelo de todas as leis, de todos os impérios da moral, você não sabe o que é isso, você nunca soube?
Você diz: Nunca.
Ela te olha, ela repete: É curioso um morto".

(Marguerite Duras in: A doença da morte)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

CRAZY Crazy crazy



Eu faço analogias bem loucas, sabe?!! Eu sou uma doidaa, isso me faz pulsar.
A analogia da vez é:
Tem situações na vida que eu comparo as faixas tocadas no rádio (FM/AM) e as do  CD/DVD. Sempre que eu estou ouvindo um CD/DVD  e coloco no rádio e coincide está passando uma música boa, que eu gosto, dou "pause" no CD/DVD e ouço a música do rádio, afinal posso recomeçar as faixas do CD/DVD e no rádio não existe essa função. Volto a ouvir o CD/DVD, satisfeita com a música do rádio.
Na vida deveria existir a possibilidade de dar "pause" em algumas etapas para não perder a oportunidade de viver algo bom, que você goste. Infelizmente só existe "play" e "stop", e como diz Chorão: Cada escolha uma renúncia, isso é a vida.

o sentimento que saiu da caixinha de surpresa hoje!



Sabe o que eu senti agora, cansaço... foi. Um cansaço de repetir as mesma histórias, cheias de falsas verdades, de palavras, de pessoas, principalmente de pessoas...penso que uma história dessas que estou falando só precisa de duas pessoas, só não, tem isso tudo, duas pessoas, que por fim devem ser apenas uma pessoa para que não se torne cansativa, desgastante. Eu senti um cansaço de parecer dividir e ter que ouvir e ter que descobrir, prestar atenção. Eu cansei das sensações de perda. Eu cansei mais ainda das privações! Meu Deus como é ruim não poder amar o outro por falta de reciprocidade. Já dizia Vinicius:  'Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido.' 
Só expressei o meu cansaço, ainda continuo grata pelas dádivas do momento! Mas sentimentos não possuem controle, eles nascem e voam...foi obrigatório pôr para fora o meu cansaço.

... quero um amor desses que não caiba em mim de tão grande. Quero sentir no abraço dele que eu sou um amor que não cabe nele também. E quero pro resto da vida.


[Mas enquanto isso, amanhã é terça (tenho porva de fisiologia humana) e o trabalho continua... Porque só nas novelas da Globo as mocinhas não fazem nada a não ser suspirar o dia inteiro, né? rs... É.]

sábado, 28 de maio de 2011

''Se você sabe conviver
com pessoas intempestivas,
emotivas,
vulneráveis,
amáveis,
que explodem na emoção:
acolha-me "


'E eu me sinto feliz e grata por tudo, vejo amor, maestria,
chance de aprendizado, em cada ínfima coisa que me acontece.
Ainda que chova, e às vezes chove muito, a memória da ternura
luminosa e imutável do sol faz eu lembrar da natureza preciosa
da vida. O sol não vai a lugar nenhum, ele fica exatamente
onde está, mas a nuvem, a chuva, sempre passam.
Tem dia em que eu acordo lindeza e coloco bobagem pra dormir
porque a nítida prioridade é a harmonia do meu coração, o contentamento natural capaz de me nutrir, proteger e me ajudar a seguir.'

quarta-feira, 25 de maio de 2011



Eu fico repetindo pra mim a música do Nando...
NÃO TENHA MEDO, NÃO TENHA MEDO, NÃO TENHA medo, NÃO tenha medo, não tenha medo!

A gente diz que aprende com os erros, mentira! Os erros passam, a dor que eles causaram também passa...e o ciclo se repete. Dessa vez você se demonstra mais madura, 'gente madura finge que não sofre'. Ai você resiste, resiste, mas no fim comete de novo o mesmo erro!!
Viver deve ser isso mesmo, ter história triste ou feliz ou sofrida ou seja lá o que for pra contar.

Deus me dá forças para viver e reviver os mesmo erros e sair deles e ficar feliz, já dizia Gabriel Chalita em uma citação de um soneto no livro Carta entre amigos, algo como cantar, calar, lutar, amar!

terça-feira, 24 de maio de 2011


Esperar pelo tempo das coisas é um aprendizado necessário. O rio tem o seu remanso. Quando apressado ele faz desastres!

Pe. Fábio de Melo

domingo, 22 de maio de 2011



“Digo que perdoo, ofereço cafezinho, lembro dos bons momentos, digo que os ruins ficaram no passado, que já não lembro de nada, pessoas maduras sabem que toda mágoa é peso morto: faz de conta que eu não sofro.” 


(Martha Medeiros)

terça-feira, 17 de maio de 2011


Estou quietinha só ouvindo o ruído das coisas boas que estão passando. A paciência está regular, acho que é uma questão de auto controle.
E tudo está caminhando bem, por mais que eu tenha que segurar algumas desgraças, e algumas grosserias para que elas não saiam da boca correndo em alguns momentos.

quarta-feira, 11 de maio de 2011



"Comovo-me em excesso, por natureza e por ofício. Acho medonho alguém viver sem paixões." 

(Graciliano Ramos)

p.s.: para minha paixão pela anatomia!

o velho amor ainda e sempre!


É simplesmente por que elas existem... por que ao ver algo que elas escreveram ou ao ver nossas fotos as lágrimas rolam, escorrem pelo canto do nariz e faz cócegas no queixo me obrigando a enxuga-las que eu me sinto obrigada a falar delas(maisumavez). MINHAS MIG'S.
Éramos três, chatas, anti-sociais, unidas, choronas, juntas, felizes, animadas(rsrsrs), amigas, irmãs.
Somos três, adultas, educadas, unidas, choronas, juntas(mesmolonge), felizes, animadas(rsrsrrs), amigas, irmãs.
E se não estivéssemos juntas as três, o ritmo não era o mesmo, estava faltando algum arranjo no conjunto.
Para mim elas são a prova mais real de que o amor verdadeiro não morre. O amor se conforma em não ter a presença diária delas, mas não as esqueço, fica um sentimento chamado saudade,constantemente presente em mim.
Ah o futuro... Amarei vocês.

terça-feira, 10 de maio de 2011


Era tanto brilho nos olhos o dia inteiro que quando encontrou seu par, os olhos se fecharam, para um, não ofuscar o brilho, do outro!

Mútuo(diferente)


Eu sou mulher 
de um homem só
Você homem
de várias mulheres
O meu desafio 
é te converter a ser homem
de uma só mulher
O teu desafio 
é o mais 
atrevido dos ideiais
(aspirações)
As minhas 
para manter a virtude
As suas 
pra manter a masculinidade
Pelos andares, olhares
ganhamos 
os dois.

domingo, 8 de maio de 2011